Saberes, Currículos e Práticas Pedagógicas em Matemática na Educação de Jovens e Adultos

Autores

  • Adriano Vargas Freitas UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
  • Francisco Josimar Ricardo Xavier Universidade Federal Fluminense http://orcid.org/0000-0001-6376-2828
  • Júlio César de Moura Dias UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
  • Eliane Lopes UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

DOI:

https://doi.org/10.37001/ripem.v12i3.3008

Palavras-chave:

Curso de formação de professores de matemática, Educação de Jovens e Adultos, Educação Matemática. Práticas pedagógicas em matemática, Sociedade Brasileira de Educação Matemática

Resumo

O artigo apresenta um breve relato da organização e implementação do curso de formação de professores de matemática, que teve como foco a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Contando com o apoio da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, foi desenvolvido de forma remota devido ao distanciamento imposto pela Covid-19. O curso focou alguns dos principais pontos relacionados a esta modalidade, tais como os saberes e fazeres de seus estudantes, além dos currículos e das práticas pedagógicas matemáticas condizentes com as especificidades destes aprendentes. Dentre os resultados observados, a percepção por parte dos participantes de que a EJA é uma modalidade que requer discussões específicas, alinhada aos anseios de seus estudantes, especialmente relacionadas às práticas na sala de aula de matemática, de tal forma que haja uma maior inclusão destes indivíduos e a percepção de que os conhecimentos desta área são imprescindíveis para a sua participação crítica e autônoma em nossa sociedade.

Biografia do Autor

Adriano Vargas Freitas, UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Doutor em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Mestre em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Especialista em Ensino de Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Graduado em Matemática. Professor do Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Federal Fluminense (PPGEdu-UFF). Professor do Instituto de Educação de Angra dos Reis (IEAR-UFF). Desenvolve pesquisas relacionadas à Educação Matemática, Formação de Professores e Currículos direcionados a Educação de Jovens e Adultos. Coordenador do Grupo de Pesquisas em Educação de Jovens e Adultos (GPEJA). 

Francisco Josimar Ricardo Xavier, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Educação pela Universidade Federal Fluminense, UFF. Tem interesse em pesquisas nas áreas: Educação, Educação Matemática, Etnomatemática, Currículo e Práticas Pedagógicas na modalidade Educação de Jovens e Adultos, EJA. Integra o Grupo de Pesquisa em Educação Matemática (GRUPEMAT), do Instituto de Educação de Angra dos Reis IEAR/UFF e o Grupo de EtnomateMática da UFF (GETUFF).

Júlio César de Moura Dias, UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Atualmente é professor docente - Secretaria de Estado de Educação e na Prefeitura Municipal de Macaé. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em História da Arte, Artes Plásticas e Desenho. Mestre em educação na UFF (Universidade Federal Fluminense). Desenvolve pesquisa sobre Idosos na EJA. Participante do GPEJA (Grupo de Pesquisa em educação de Jovens e Adultos da Universidade Federal Fluminense).

Eliane Lopes, UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

É mestre em Educação (UFF - 2016), possui Especialização em Ensino de Matemática (UFF - 2010), licenciada em Matemática (UFF - 2006) e em Pedagogia (UNIRIO - 2012). É professor docente 1 (SEEDUC - RJ - desde 2009). 

Referências

Biesta, G. (2012). Boa educação na era da mensuração. Tradução de Teresa Dias Carneiro. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, 42(147), 808-825.

Bragança, I. F. S. (2008). Histórias de vida e formação de professores/as: um olhar dirigido à literatura educacional. In: Souza, E. C. & Mignot, A. C. V. (org.). Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro (RJ): Quartet; Faperj, 65-88.

D’Ambrosio, U. (2013). Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 5. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

Delory-Momberger, C. (2008). Biografia e educação: figuras do indivíduo projeto. Tradução de Maria da Conceição Passeggi, João Gomes da Silva Neto e Luis Passeggi. Natal, RN: EDUFRN; São Paulo: Paulus.

Dias, J. C. M. (2020). “A gente nunca acha que é demais aprender”: Educação de Jovens e Adultos: motivações de idosos para buscarem formação escolar em Macaé-RJ, 2020. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil.

Fantinato, M. C. (2004). A construção de saberes matemáticos entre jovens e adultos do Morro de São Carlos. Rev. Bras. Educ., Brasília, (27), 109-124.

Freire, P. (2005). Pedagogia do oprimido. 46. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, A. V. (2013). Educação Matemática e Educação de Jovens e Adultos: estado da arte de publicações em periódicos (2000 a 2010). Tese de Doutorado em Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Freitas, A. V. (org.). (2018). Questões curriculares e Educação matemática na EJA: desafios e propostas. São Paulo: Paco Editorial.

Gils A. L. (2010). Contribuições da etnomatemática para a educação de jovens e adultos e para a formação de professores. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro.

Henrique, E. O. & Guimarães, H. C. & Rodrigues, V. F. N. (2021). Paulo Freire e a pesquisa narrativa (auto)biográfica: diálogos entre leitura do mundo, de si e de trajetórias de formação. Revista Teias, Rio de Janeiro, 22 (67), 145-158.

Lopes, A. C. & Macedo, E. (2011). Teorias de currículo. São Paulo: Cortez.

Moreira, A. F. & Candau, V. M. (2008). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes.

Nóvoa, A. (1992). Os professores e as histórias de suas vidas. In: Nóvoa, A (Org). Vidas de professores. Portugal: Porto, 11-30.

Pacheco, J. A. (2005). Escritos Curriculares. São Paulo: Cortez.

Passeggi, M. C. Memoriais auto-bio-gráficos: a arte profissional de tecer uma figura pública de si. In: Passeggi, M. C. & Barbosa, T. M. N. (org.). (2008). Memórias, memoriais: pesquisa e formação docente. Natal: Editora da UFRN; São Paulo: Paulus, 27-41.

Pereira, J. M. M. (2018). A experiência como princípio formativo nas trajetórias de professoras e professores da educação de jovens e adultos (EJA): memórias da formação docente. Tese de Doutorado em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil.

Ribeiro, W. G.; Freitas, A. V. (2018). Pensando em diferenças e em educação nas disputas pela Base Nacional Comum Curricular. In: Freitas, A. V. (org.). Questões curriculares e educação matemática na EJA: desafios e propostas. Jundiaí: Paco, 37-55.

Rummert, S. M. & Ventura, J. P. (2007). Políticas públicas para educação de jovens e adultos no Brasil: a permanente (re)construção da subalternidade: considerações sobre os Programas Brasil Alfabetizado e Fazendo Escola. Educar, Curitiba, (29), 29-45.

Sacristán, J. G. (2000). O currículo: uma reflexão sobre a prática. Tradução: Ernani F. da F. Rosa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed.

Silva, M. A. (2009). Currículo de Matemática do Ensino Médio: em busca de critérios para escolha e organização de conteúdos. Tese de Doutorado em Educação Matemática, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, São Paulo.

Publicado

2022-05-20

Como Citar

FREITAS, A. V., Xavier, F. J. R., DIAS, J. C. D. M., & ANDRADE, E. L. W. D. (2022). Saberes, Currículos e Práticas Pedagógicas em Matemática na Educação de Jovens e Adultos . Revista Internacional De Pesquisa Em Educação Matemática, 12(3), 91-105. https://doi.org/10.37001/ripem.v12i3.3008