Labor Conjunto Remoto: uma proposta metodológica para formação continuada de professores que ensinam matemática

Autores

  • Jadilson Ramos de Almeida Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Juliana Martins Universidade Federal Rural de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.37001/ripem.v12i3.3010

Palavras-chave:

Formação continuada de professores. Anos iniciais do ensino fundamental. Álgebra. Teoria da objetivação. Labor conjunto remoto.

Resumo

Neste artigo temos o objetivo de apresentar a ideia de labor conjunto remoto como uma proposta metodológica para formações continuadas de professores que ensinam matemática, assumindo os pressupostos da teoria da objetivação. Nossa proposição foi elaborada a partir de um projeto de formação continuada vivenciado no formato remoto, que assumiu a álgebra e seu ensino nos anos iniciais do ensino fundamental como objeto de saber a ser problematizado. A ideia de labor conjunto descrita pela teoria da objetivação foi pensada para o formato presencial, entretanto, defendemos que essa ideia pode ser implementada, a partir de adaptações, também no formato remoto. Em nosso texto abordamos os princípios da teoria da objetivação seguido das ideias de atividade, atividade de ensino e aprendizagem e labor conjunto, conceitos que assumimos como centrais para nossa proposição. Concluímos que o labor conjunto remoto possui fases, ou, momentos, que vão do planejamento à vivência do trabalho. Entretanto, não é a vivência completa desses momentos que caracterizam o labor conjunto remoto, mas o tipo de interação entre os sujeitos na realização das tarefas, que devem priorizar a coletividade, o cuidado com o outro, a solidariedade. Nesse sentido, entendemos que o labor conjunto remoto, vivenciado a partir dos princípios de uma ética comunitária, é um processo, um sistema dinâmico em constante movimento e mudanças, que é afetado e afeta, de uma forma dialética, as subjetividades e os saberes em jogo.

Referências

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular. Brasília: Ministério da Educação.

Gomes, L. P. S. & Noronha, C. A. (2020). Caracterização do pensamento algébrico na perspectiva da teoria da objetivação. In. S. T. Gobara & L. Radford (Org.), Teoria da objetivação: fundamentos e aplicações para o ensino e aprendizagem de ciências e matemática (pp. 15-42). São Paulo, Livraria da Física.

Hegel, G. (2001). The philosophy of history. Kitchener, ON: Batoche Books. (Original work published 1837)

Leontiev, A. N. (1983). Actividad, Conciencia y Personalidad. Ciudad de La Habana: Pueblo y Educación

Marx, K. (1998). The German ideology. New York, NY: Prometheus Books.

Plaça, J. S. V. (2020). O uso de tecnologia assistiva como artefato Cultural no atendimento educacional especializado para alunos cegos ou baixa visão. Tese de doutorado. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Campo Grande, Brasil.

Radford, L. (2015). Methodological Aspects of the Theory of Objectification. Perspectivas da Educação Matemática. 8(18), pp. 547-567.

Radford, L. (2018). The emergence of symbolic algebraic thinking in primary school. In: C. Kieran (Org.), Teaching and learning algebraic thinking with 5- to 12-year-olds: The global evolution of na emerging field of research and practice (pp. 3-25). New York: Springer.

Radford, L. (2020a). Un recorrido a través de la teoría de la objetivación. In: S. T. Gobara & L. Radford (Org.), Teoria da objetivação: fundamentos e aplicações para o ensino e aprendizagem de ciências e matemática (pp. 15-42). São Paulo, Livraria da Física.

Radford, L. (2020b). ¿Cómo sería una actividad de enseñanza-aprendizaje que busca ser emancipadora? La labor conjunta en la teoría de la objetivación. RECME-Revista Colombiana de Matemática Educativa. 5 (2), pp. 15-31.

Radford, L. (2021). Teoria da Objetivação: uma perspectiva vygostkiana sobre conhecer e vir a ser no ensino e aprendizagem da matemática. Trad. B. M. Morey & S. T. Gobara. Livraria da Física.

Radford. L. (2017a) Saber y conocimiento desde la perspectiva de la Teoría de la Objetivación. In: B. D'Amore & L. Radford. Enseñanza y aprendizaje de las matemáticas: problemas semióticos, epistemológicos y prácticos. (pp. 97-114) Bogotá, Colômbia: Cooperativa Editorial Magisterio.

Radford. L. (2017b) A teoria da objetivação e seu lugar na pesquisa sociocultural em educação matemática. In: V. D. Moretti & W. L. Cedro (Org.), Educação matemática e a teoria histórico-cultural: um olhar sobre as pesquisas (pp. 229-261). Mercado das Letras.

Romeiro, I. O. & Moretti, V. D. (2021) O desenvolvimento do pensamento algébrico na formação de professores dos anos iniciais: contribuições da teoria da objetivação. In: V. D. Moretti & L. Radford (Org.). Pensamento algébrico nos anos iniciais: diálogos e complementaridades entre a teoria da objetivação e a teoria histórico-cultural (pp. 105-130). São Paulo. Livraria da Física.

Trivilin, L. R., & Ribeiro, A. (2015). Conhecimento matemático para o ensino de diferentes significados do sinal de igualdade: um estudo desenvolvido com professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Bolema, 29(51), 38-59.

Vale, I. & Pimentel, T. (2011). Padrões em Matemática: uma proposta didática no âmbito do novo programa para o ensino básico. Textos Editores, Lisboa, Portugal.

Publicado

2022-05-20

Como Citar

Almeida, J. R. de, & Martins, J. . (2022). Labor Conjunto Remoto: uma proposta metodológica para formação continuada de professores que ensinam matemática. Revista Internacional De Pesquisa Em Educação Matemática, 12(3), 106-124. https://doi.org/10.37001/ripem.v12i3.3010