http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/issue/feed Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática 2022-05-21T12:32:46-03:00 International Journal for Research in Mathematics Education ripem@sbemrevista.com.br Open Journal Systems <div id="journalDescription-1" class="journalDescription"> <p>RIPEM - Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática é um periódico online publicado pela <a title="SBEM - Sociedade Brasileira de Educação Matemática" href="http://www.sbembrasil.org.br/sbembrasil/" target="_blank" rel="noopener">Sociedade Brasileira de Educação Matemática - SBEM</a></p> <p><strong>ISSN 2238-0345</strong></p> <p>Qualis Capes: B2 (Ensino)</p> </div> http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3120 Ad hoc Reviewers 2022-05-21T12:12:51-03:00 Maurício Rosa mauriciomatematica@gmail.com <p>Reviewers</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3092 Perspectivas teóricas evidenciadas nos contextos do Programa SBEM-FormAção 2022-05-01T18:07:33-03:00 Ênio Freire de Paula eniodepaula@ifsp.edu.br Neuza Neuza Maria Cechetti cechettineuza@yahoo.com Magna Natalia Marin Pires magnapires@yahoo.com.br <p>Editorial</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3029 O Programa SBEM - FormAção Educação Infantil e Anos Iniciais no contexto pandêmico 2022-04-07T09:56:31-03:00 Ênio Freire de Paula eniodepaula@ifsp.edu.br Leila Pessôa da Costa dacosta.leila@gmail.com Salete Maria Chalub Bandeira saletechalub@gmail.com Silvania Couto silvaniacoutoc@gmail.com <p>Nesse artigo, apresentamos as características do<em> Programa Formação Continuada em serviço para professores da Educação Infantil e dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental</em>, fomentado pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática (Programa SBEM-FormAção). Traçamos um panorama geral dos planos de ações (PA) finalizados até o momento em que escrevemos este texto e socializamos alguns dos desafios que surgiram no decorrer da implementação dos mesmos, desenvolvidas em meio ao triste e adverso cenário imposto pela pandemia do COVID-19. Para tanto, iniciamos com as reflexões a respeito da perspectiva de formação presente no Edital SBEM-DNE 01/2020, em articulação com as discussões a respeito do compromisso político da SBEM frente a oferta de ações formativas. Em seguida, apresentamos um breve panorama das ações desenvolvidas e problematizamos alguns dos desafios enfrentados no decorrer desta trajetória. Finalizamos o artigo com os elementos que podem ser considerados em futuras edições desta iniciativa.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3030 Um Panorama Geral dos Planos de Ação do Edital SBEM-DNE 01/2020 do FormAção 2022-03-12T13:47:47-03:00 Claudete Cargnin claucf@gmail.com Edlauva Oliveira dos Santos edlauva02@gmail.com Leila Pessôa da Costa lpcosta@uem.br Lúcia de Fátima Durão Ferreira luciadurao@gmail.com <p>Este trabalho objetiva apresentar um panorama geral dos Planos de Ação (PAs) do primeiro Edital SBEM-DNE (01/2020) de formação continuada de professores da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental - o FormAção, as instituições proponentes, os(as) pesquisadores(as) e grupos de estudos envolvidos, as temáticas abordadas e o público alvo ao qual se destinou, bem como suas potencialidades, singularidades e fragilidades observadas nesse processo. Caracterizado como pesquisa documental, tem como <em>corpus</em> 16 PAs que concorreram ao referido Edital e 10 Relatórios entregues pelos coordenadores ao término da ação formativa. A análise foi interpretativa a partir de três grandes categorias temáticas: perspectiva de formação de professores que ensinam matemática presente nos PA; Balanço Geral dos PAs finalizados; e Acompanhamento da Comissão de Avaliação e Acompanhamento (CAAc) no decorrer da trajetória dos PAs. Verificou-se que dos 16 PAs apresentados, 15 foram homologados, 13 desenvolvidos e 10 concluídos. Observou-se que os planos apresentados envolveram 15 diferentes proponentes e 15 grupos de pesquisa, além de diferentes temáticas relativas à Educação Matemática. Conclui-se a relevância da participação desses docentes nas ações formativas e recomenda-se a SBEM promover novas possibilidades de integração desse público, haja vista suas necessidades formativas e contribuição à Educação Matemática.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3005 O Interesse de Professores em um Ensino de Matemática Inclusivo: uma discussão a partir de um curso online 2022-03-11T13:46:47-03:00 Ana Lucia Manrique manrique@pucsp.br Elton de Andrade Viana eltondeandradeviana@gmail.com Fábio Alexandre Borges fabioborges.mga@hotmail.com Clélia Maria Ignatius Nogueira voclelia@gmail.com Agnaldo da Conceição Esquincalha aesquincalha@gmail.com Cláudia Coelho de Segadas Vianna claudia@im.ufrj.br Edmar Reis Thiengo thiengo.thiengo@gmail.com Thamires Belo de Jesus thamiresbelo23@gmail.com <p>Para este artigo, consideramos as reflexões geradas com a implementação na Educação Básica brasileira da Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva de 2008 para propor o objetivo de discutir como o interesse por um ensino de Matemática mais inclusivo se manifesta em professores dos anos iniciais do ensino fundamental brasileiro. Este artigo analisa dados que foram produzidos no momento da pré-inscrição e da finalização de um curso online oferecido no período de março a julho de 2021 para esses professores no contexto do Programa FormAção da SBEM. Assumindo-se o interesse como um construto complexo que influencia no desenvolvimento profissional do professor, identifica-se a necessidade de mais estudos sobre o caminho que se monta entre um interesse situacional, caracterizado como efêmero e transitório, e um interesse individual, que por sua vez é mais contínuo e estável, a respeito da inclusão educacional, particularmente em relação aos estudantes apoiados pela Educação Especial. </p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3031 Aprender e Ensinar Geometria Remotamente: Enfrentamentos Didáticos de Professores dos Anos Iniciais em Tempo de Pandemia 2022-04-07T10:34:19-03:00 Jacqueline Borges de Paula jbcpaula@yahoo.com.br Deise Rôos deiseroos@gmail.com Rute Cristina domingos da palma ruteppgeufmt@gmail.com Daniela Maria Almeida de Lima danielafelau@hotmail.com <p>Apresentamos, neste artigo, resultados de uma pesquisa que investigou, do ponto de vista dos professores dos Anos Iniciais, os enfrentamentos formativos e didáticos em Geometria e a organização de intervenção com seus alunos remotamente. A pesquisa aconteceu a partir da ação de formação continuada remota intitulada “A Geometria na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental”. O objetivo da pesquisa foi analisar e refletir sobre o processo de aprendizagem e ensino da Geometria no cenário especificamente delineado pelo Ensino Remoto, buscando evidenciar os enfrentamentos destacados e entender como educadores e educandos (re)agiram no processo de apropriação dessa “nova” ambiência e cenário educativo. Apoiamo-nos numa metodologia investigativa qualitativa, de cunho interpretativo. Os textos de campo para análise são constituídos de narrativas orais (N.O.) e escritas (Relatos de Experiencias – R.E.) produzidas no decorrer dos encontros formativos e da entrevista narrativa (E.N.). Em relação ao processo de formação continuada, os professores cursistas revelaram que a relevância esteve situada no estabelecimento de uma estreita associação entre reflexões teóricas e busca por soluções de problemas de modo coletivo e colaborativo. No processo de desenvolvimento das atividades de Geometria de modo remoto, os professores relatam a necessidade de construir novas aprendizagens para lidar com as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação – TDIC e que se somam a esse aspecto, as dificuldades de acessibilidade e escassez de aparato tecnológico das famílias dos educandos.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/2984 Pode Mexer ou é para Enfeitar a Sala? 2022-03-12T15:02:01-03:00 Soraya Izar soizar@gmail.com George Willian Bravo de Oliveira georgebravo.br@gmail.com Thais Fernanda de Oliveira Settimy sottamy@gmail.com <p>As conversas entre os professores, participantes do curso - <em>Visualização em Geometria nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental - </em>promovido pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática em 2021, despertaram a atenção a respeito do uso de material concreto nas escolas. Algumas escolas não possuem material disponível e em outras esses materiais são subutilizados ou não são empregados nas práticas de sala de aula por conta de os professores não saberem como utilizar. Neste artigo abordamos algumas possibilidades e colocamos a disposição referências de professores que adotam essa prática em suas experiências profissionais. A visualização é uma habilidade que precisa ser desenvolvida desde as séries iniciais do Ensino Fundamental, para tanto, se inicia com a manipulação de materiais concretos pela observação e percepção o que favorece a criação de memórias que ativam a imaginação. A visualização não é de aplicação exclusiva da Matemática, mas confere ao ser humano a capacidade de integrar conhecimentos escolares e a vivência fora da vida escolar. Explorar os materiais manipuláveis associando-os aos tópicos de Geometria, não apenas pelo estudo da disciplina em si, mas explorando os conceitos geométricos, observando a aplicação desses conceitos e identificando-os nas diversas situações presentes no dia a dia. Isso é fundamental para a construção do processo de visualização dos estudantes desde os anos iniciais do Ensino Fundamental.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3008 Saberes, Currículos e Práticas Pedagógicas em Matemática na Educação de Jovens e Adultos 2022-02-19T17:36:36-03:00 ADRIANO VARGAS FREITAS adrianovargas@id.uff.br Francisco Josimar Ricardo Xavier josimar_xavier@id.uff.br JULIO CESAR DE MOURA DIAS juliocmdias1970@gmail.com ELIANE LOPES WERNECK DE ANDRADE eliane.lopes.mat@gmail.com <p>O artigo apresenta um breve relato da organização e implementação do curso de formação de professores de matemática, que teve como foco a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Contando com o apoio da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, foi desenvolvido de forma remota devido ao distanciamento imposto pela Covid-19. O curso focou alguns dos principais pontos relacionados a esta modalidade, tais como os saberes e fazeres de seus estudantes, além dos currículos e das práticas pedagógicas matemáticas condizentes com as especificidades destes aprendentes. Dentre os resultados observados, a percepção por parte dos participantes de que a EJA é uma modalidade que requer discussões específicas, alinhada aos anseios de seus estudantes, especialmente relacionadas às práticas na sala de aula de matemática, de tal forma que haja uma maior inclusão destes indivíduos e a percepção de que os conhecimentos desta área são imprescindíveis para a sua participação crítica e autônoma em nossa sociedade.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3010 Labor Conjunto Remoto: uma proposta metodológica para formação continuada de professores que ensinam matemática 2022-02-19T17:34:59-03:00 Jadilson Ramos de Almeida jadilsonalmeida@hotmail.com Juliana Martins juliana.martins2@ufrpe.br <p>Neste artigo temos o objetivo de apresentar a ideia de labor conjunto remoto como uma proposta metodológica para formações continuadas de professores que ensinam matemática, assumindo os pressupostos da teoria da objetivação. Nossa proposição foi elaborada a partir de um projeto de formação continuada vivenciado no formato remoto, que assumiu a álgebra e seu ensino nos anos iniciais do ensino fundamental como objeto de saber a ser problematizado. A ideia de labor conjunto descrita pela teoria da objetivação foi pensada para o formato presencial, entretanto, defendemos que essa ideia pode ser implementada, a partir de adaptações, também no formato remoto. Em nosso texto abordamos os princípios da teoria da objetivação seguido das ideias de atividade, atividade de ensino e aprendizagem e labor conjunto, conceitos que assumimos como centrais para nossa proposição. Concluímos que o labor conjunto remoto possui fases, ou, momentos, que vão do planejamento à vivência do trabalho. Entretanto, não é a vivência completa desses momentos que caracterizam o labor conjunto remoto, mas o tipo de interação entre os sujeitos na realização das tarefas, que devem priorizar a coletividade, o cuidado com o outro, a solidariedade. Nesse sentido, entendemos que o labor conjunto remoto, vivenciado a partir dos princípios de uma ética comunitária, é um processo, um sistema dinâmico em constante movimento e mudanças, que é afetado e afeta, de uma forma dialética, as subjetividades e os saberes em jogo.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3012 Possibilidades Formativas com os Cursos Online SBEM 2022-03-19T23:42:24-03:00 Salete Maria Chalub Bandeira saletechalub@gmail.com Eliete Alves de Lima elietelimaac@gmail.com Aurinéia Alves de Lima Castro aurineia.alves@gmail.com <p>O objetivo deste texto é descrever e analisar o caminho trilhado por três professoras pesquisadoras do estado do Acre – Região Norte do Brasil, membros da Sociedade Brasileira de Educação Matemática - SBEM, a partir de formações recebidas em tempos de Pandemia da COVID-19, através dos Planos de Ação dos Cursos submetidos e aprovados por meio do Edital SBEM-DNE 01/2020. Dessa forma, apresentamos os Cursos: 1 - <em>Práticas Matemáticas Inclusivas nos Anos Iniciais: reflexões geradas na Educação Especial e 2 - Geometria: ensinando e visualizando com o GeoGebra App para os Anos Iniciais</em>, ambos ofertados no ano de 2021, com atividades síncronas aos sábados e assíncronas durante as semanas dos cursos (1 – no Ambiente Virtual de Aprendizagem - AVA <em>Moodle</em> – UFRJ e 2 - Google <em>Classroom</em>). Como resultado, apontamos a importância da SBEM com as formações oferecidas aos sócios e destacar a grandeza dessas formações para regiões carentes do Brasil. Portanto, foi possível participar das formações e refletir com professores e pesquisadores de grupos de pesquisa de diversos Estados, temas emergentes presentes nas Escolas e, ainda numa Instituição de Ensino Superior colocar em ação uma formação de professores de matemática que se discuta as necessidades de nosso futuro e presente professor.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática http://sbemrevista.kinghost.net/revista/index.php/ripem/article/view/3083 Aprendizagem Colaborativa de Docentes por meio do GeoGebra 2022-04-18T22:32:49-03:00 Alexander Pires da Silva alexander.matematica@gmail.com <p>GEOMETRIA: ensinando e visualizando no GeoGebra App foi um plano de ação de formação, do programa SBEM-FormAção, para professores da Educação Infantil e dos anos Iniciais do Ensino Fundamental. Para organizar este curso de formação, buscaram-se aportes teórico-metodológicos que atendessem os pressupostos estabelecidos por este programa. Este artigo, em particular, além de apresentar os aportes teórico-metodológicos empreendidos neste curso, aponta observações sobre a interação e a aprendizagem colaborativa de docentes, em relação ao Ensino de Geometria, por meio de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA). Para isso, apresentamos uma breve revisão de literatura sobre o ensino de Geometria nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Dada uma sequência de tarefas para AVA, elaboradas a partir de princípios metodológicos, é possível observar como elas auxiliam uma equipe colaborativa de aprendizes a ser protagonista da sua aprendizagem. No entanto, há pouco embasamento teórico para elaboração de tarefas para esse contexto.</p> 2022-05-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Pesquisa em Educação Matemática